Resenha: O Que Há de Estranho em Mim

23.5.16 Cuca Literária 2 Comentários


Livro: O que há de estranho em mim
Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 224
Ano da edição: 2016

Sinopse: Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.

Resumo da obra

 Na primeira ficção de sua carreira – que lembra o premiado Um estranho no ninho –, Gayle Forman narra a corajosa saga de cinco garotas presas em um ‘centro de tratamento residencial’. A história é contada por Brit, uma jovem de 16 anos que mora com o pai, o irmão pequeno Billy, e a madrasta, a qual é intitulada como a "Monstra" durante toda a história. Brit é a guitarrista de uma banda de punk rock, chamada Clod. Quando ainda era criança, Brit teve que superar a perda de sua mãe, que por ter sido acometida por problemas mentais, saiu pelo mundo e desapereceu, sem deixar rastros de sua localização. A partir daí, Brit passou a conviver sob os cuidados do pai por um longo tempo, até que anos mais tarde, o mesmo resolveu se casar novamente, com uma mulher que se tornou um pesadelo para vida da jovem garota, a qual se viu sozinha, perdendo espaço na vida do pai dia após dia. Tudo piorou quando a "Monstra" engravidou e deu à luz ao pequeno Billy, o que fez com que Brit se sentisse excluída no mundo. 
 Na tentativa de encontrar alento para alma, Brit resolve comprar uma guitarra, e pouco a pouco, aprende sozinha a tocar algumas notas musicais, até que um dia, ela vê na rua um cartaz anunciando uma seleção para escolha de um novo guitarrista para uma banda, a Clod. Ela resolve participar, e em meio ao nervosismo e falta de experiência, ela consegue se sobressair na frente dos demais concorrentes, e por fim, é selecionada. 
 Agora como integrante da Clod, a jovem guitarrista ganha três novos amigos: Denise, Erik e Jed. Esse último é o colírio dos olhos de Brit: ela gosta dele, porém, não revela seus sentimentos. Com os novos parceiros, ela vai desfrutar de emoções e surpresas a cada novo ensaio, a cada novo show. 
 Entretanto, a narrativa toma um inesperado rumo quando o pai da jovem guitarrista resolve internar a filha na Red Rock, uma clínica para tratamento de jovens que possuem algum tipo de transtorno. Brit sabe que não perdeu a razão, tampouco merecia estar naquele lugar. Ela foi levada a força pela pessoa que mais amava, logo depois de sua mãe. Assim que é deixada na clínica, a jovem vivencia os piores momentos de sua vida, mas a medida que o tempo passa, ela conhece quatro garotas, as quais irão se unir a ela na tentativa de fuga da Red Rock. V, Bebe, Martha, Cassie, e Brit, formam uma irmandade: agora elas se consideram verdadeiras irmãs.
 Apesar de possuírem várias ideias sobre como driblar o sistema da Red Rock, e por fim escapar, as cinco garotas sempre acabam surpreendidas por alguém que as impede de realizar tal feito. Basicamente, o sistema da clínica funciona através de uma escala de níveis e recompensas, que se iniciam no nível Um e vai até o Seis, os quais irão avaliar os comportamentos das internas, e de acordo com os mesmos, elas podem avançar e conseguir sua carta de alforria, ou regredir e permanecer mais tempo no local.  
 Depois de muito insistir e nenhum resultado positivo obter, as irmãs começam a desistir da ideia de fuga, até que Brit tem um plano final: agora é tudo ou nada!
 Ela resolve entrar em contato com um influente jornalista que ficou muito famoso após cobrir várias matérias de bastante repercussão, mas que agora, depois de muito tempo na atividade do jornalismo, resolveu se aposentar. Esse é o plano mais arriscado de todos, e por isso, as cinco garotas vão investir todas as suas forças nessa aventura ousada. 
 Será que dessa vez elas vão conseguir escapar da Red Rock?


Minha opinião

 Este é o terceiro livro que eu leio da autora Gayle Forman, e por isso, creio estar mais familiarizada com a sua forma de escrita. Já espero grandes histórias quando vejo o seu nome em alguma capa. O Que Há de Estranho em Mim, apesar de possuir um gênero diferente de "Se Eu Ficar" e "Para Onde Ela Foi", obras também da mesma autora, me atraiu a atenção pelos detalhes contidos na história, os quais instigam a nossa curiosidade para conhecer o que acontece após cada capítulo, cada aventura vivenciada pelo grupo das amigas, e ainda, desvendar os mistérios que estão por trás da Red Rock.
 É um livro com uma leitura jovem e agradável, que apresenta um tema chamativo, o qual desperta a imaginação do leitor. Através das dificuldades e obstáculos enfrentados por Brit e suas amigas, podemos refletir sobre quantos jovens precisam de ajuda, mas que infelizmente, nem sempre são compreendidos. Às vezes, até os pais erram quando acreditam que estão tomando as melhores decisões para a vida de seus filhos, quando na verdade, pela falta do diálogo mútuo, estão prejudicando os mesmos. Creio que esta obra retrata a importância do carinho, da compreensão, do afeto, da amizade e da confiança, não somente entre pais e filhos, mas nos relacionamentos em geral. 

Classificação:    



Compare e compre






Veja também:

2 comentários:

  1. Olá!
    Tô doida para conhecer esse livro, parece ser muito bom e fiquei curiosa quanto ao destino dela e das outras.
    A resenha também ficou incrível!

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Mônica!
      Garanto que você vai se surpreender com o destino das cinco amigas!

      Excluir