Resenha: A Revolução dos Bichos

18.7.16 Cuca Literária 2 Comentários



Livro: A Revolução dos Bichos
Autor: George Orwell
Editora: Companhia das Letras
Número de Páginas: 152
Ano da edição: 2007

Sinopse: Cansados da exploração a que são submetidos pelos humanos, os animais da Granja do Solar rebelam-se contra seus donos e tomam posse da fazenda, com o objetivo de instituir um sistema cooperativo e igualitário, sob o slogan “quatro pernas bom, duas pernas ruim”. Mas não demora muito para que alguns bichos – em particular os mais inteligentes, os porcos – voltem a usufruir de privilégios, reinstituindo aos poucos um regime de opressão, agora inspirado no lema “todos os bichos são iguais, mas alguns bichos são mais iguais que outros”. A história da insurreição libertária dos animais é reescrita de modo a justificar a nova tirania, e os dissidentes desaparecem ou são silenciados à força. Instrumentalizada na época da Guerra Fria como arma anticomunista, A revolução dos bichos transcende os marcos históricos da ditadura stalinista que a inspirou e resplandece hoje, passados mais de sessenta anos de seu surgimento, como uma das mais extraordinárias fábulas sobre o poder que a literatura já produziu.


Resumo da obra

 A obra começa descrevendo a vida dos animais na Granja do Solar, comandada pelo Sr. Jones. O ponto de partida começa com as reflexões de um velho porco conhecido por Major (que representa a figura de Karl Marx), e o mesmo acaba por avaliar a situação de exploração a qual os animais são submetidos. Propõe, então, que seja feita uma mudança, ou melhor, uma revolução. Antes de falecer, ele deixa as suas ideias e propostas para atingir a justiça e a igualdade, as quais irão ser levadas adiante por outros porcos, visto que eles são considerados os mais inteligentes em comparação aos outros animais. 

 O porco Major morre, e como era de se esperar, assumem a liderança outros porcos, dentre os quais se destacam Napoleão e Bola-de-Neve. Mais tarde, surge Garganta, um porco muito conhecido pelo seu poder de persuasão, capaz até de convencer de que preto era branco. Após uma rebelião na fazenda provocada pelos animais, o Sr. Jones se vê obrigado a fugir dali, e procurar abrigo em outro local, enquanto que na Granja Solar os bichos fazem a festa pela revolução causada, e diante disso, os porcos estabelecem Sete Mandamentos que devem ser observados por todos os animais, afim de manter a ordem em meio a nova realidade. 

 Não demora muito para que haja manipulação por parte dos porcos em relação aos demais membros da granja, os quais acabam sendo enganados por mudanças feitas nos mandamentos em favor dos porcos. A partir daí, começam a surgir as primeiras crises na fazenda, e em meio a uma delas, ocorre a expulsão de Bola-de-Neve da granja, o qual é severamente apontado por Napoleão como traidor. Os animais passam a crer firmemente nas decisões tomadas por Napoleão, que passa a ser considerado o supremo líder. 

 Tempos mais tarde, os animais, com excessão dos porcos, retornam ao cenário anterior a revolução: a submissão que antes era feita pelos humanos, hoje é exercida pelos porcos, os quais se impõe aos outros bichos e acabam por assumir total domínio da granja. 


Minha opinião

 Essa obra eu adquiri depois de uma indicação feita por uma amiga, a qual me disse que se tratava de um livro bem interessante, e até certo ponto "engraçado" por conta das atitudes e falas dos animais. Pois bem, resolvi comprar a obra e ver o que leitura me reservava. 

 Confesso que a princípio eu me senti um pouco deslocada na história, primeiro porque a mesma não se trata de uma simples metáfora, mas sim, uma obra que foi criada para satirizar a ditadura stalinista presente na época vivenciada pelo autor. É lógico que até mesmo quem não sabe mais sobre o período da Guerra Fria consegue extrair uma boa leitura desse livro, porque acaba se aventurando na narrativa. 

 A obra é narrada em terceira pessoa, com detalhes que idealizam uma sociedade utópica, perfeita para se viver. Neste livro, o leitor não vai se deparar com uma narrativa comum, na qual se conhece primeiramente o problema, depois atravessa o desenvolvimento, e por fim, encontra uma solução. Muito pelo contrário, o autor esboça na obra os traços da humanidade, a qual é cercada por conflitos, se reinventa a todo momento, e assim, acaba trocando um problema pelo outro, e essa é a grande sacada que o livro pretende passar para os leitores. 


Classificação:


Onde comprar:
  




Veja também:

2 comentários:

  1. Hellen, eu sempre fiquei curioso com essa obra, mas não sabia exatamente do que se tratava. Agora sei, e estou com mais vontade ler ainda. Da próxima vez que esbarrar com ela, não vai escapar. rsrs Muito legal a resenha.

    www.atraentemente.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também tinha curiosidade por conhecer esse livro, e te garanto, vale muito a pena ler essa obra!

      Abraços!

      Excluir